Isidoro Diniz: 30 anos de teatro e um grande projeto



Este ano é muito especial para a Isidoro Diniz Produções: em 2009, Diniz comemora três décadas de carreira. E ele pretende comemorar em grande estilo, produzindo e realizando um evento que une teatro, literatura e fotografia. A celebração visa principalmente reconhecer e registrar a importância do artista na história do movimento cultural do Paraná.

Há 30 anos, Isidoro Diniz desenvolve trabalhos de pesquisas com qualidade e apresenta um teatro de alto nível, visando estimular a criatividade do público. Tudo começou quando o menino quis ser artista e largou a lavoura de café e o trabalho no campo para correr atrás do seu sonho. De Nova Fátima, norte do Paraná, para Curitiba. Longe de casa, mais perto do sonho.

A tríade dos 30 anos

Uma das metas do projeto é produzir o espetáculo musical infantil O Corcunda de Notre Dame, baseado na obra de Victor Hugo, com música ao vivo.

Outra é a publicação de um livro de 100 páginas com acervo fotográfico e histórico da carreira do diretor, com o título Um Fazedor de Teatro – 30 anos em cena no Paraná. Além de estimular a leitura e a análise critica sobre sua carreira profissional, ele servirá como material de referência, disponibilizando informações e imagens que contribuem para a construção da história do teatro paranaense.

Para finalizar as comemorações, Isidoro pretende ainda realizar uma exposição fotográfico-documental com 30 imagens em tamanho grande e outras 100 em 15cmX21cm sobre seu trabalho ao longo de sua carreira. Os visitantes receberão um mini-CD ROM com as imagens da mostra itinerante, que passará por cidades como Nova Fátima (PR) e Lapa (PR). Após a exposição, o acervo será doado para a Secretaria de Cultura do município de Nova Fátima.

Recapitulando sucessos

Isidoro Diniz é um dos grandes destaques do teatro paranaense. Ao comemorar a data, ele revê sua carreira: foram dezenas de produções, grandes sucessos de público e crítica enquanto o panorama sempre se modificava. Porém, a motivação que fez o menino deixar o campo permaneceu: "O que me move ainda é acreditar que posso descobrir alguma coisa nova no teatro. O teatro não se esgota. Acredito que ainda podemos descobrir e proporcionar novas descobertas e sensações para o público. Este é meu norte, meu elo, aquilo em que ainda acredito. O resto? O resto são adereços", diz.

Nos últimos cinco anos, Isidoro realizou diversos e bem-sucedidos espetáculos teatrais, dentre eles a trilogia baseada em obras de Fernando Arrabal: Fando e Lis, Oração e Bicicleta do Condenado. Em 2007 e 2008, brilhou nos palcos curitibanos com a peça "Pessoalmente Fernando", baseada na vida e obra de Fernando Pessoa, espetáculo que rendeu seis indicações ao Troféu Gralha Azul.

Isidoro levou para casa três deles: melhor ator, melhor sonoplastia e melhor diretor. Na mesma cerimônia foi homenageado com um troféu especial do Gralha Azul pela relevante contribuição em defesa dos interesses da classe teatral do Paraná.
 
Imprimir
<<< voltar